A Medicina Tradicional Chinesa (MTC) é um dos sistemas de medicina mais antigos e mais usados no mundo. Na China, a medicina tradicional é practicada lado a lado com a medicina moderna ortodoxa nos hospitais e consultórios médicos. Os recursos terapeuticos principais da MTC são a acupuntura e a fitoterapia. Na medicina Chinesa, a doença é considerada uma desarmonia do corpo inteiro que produz síndromes patológicas energeticas, manifestadas em sintomas e 'sinais'. O tratamento aspira 'expelir agentes patogênicos' (se presente), promover a força vital (Qi), e restituir o equilíbrio da constituição. Na acupuntura isso é feito através da inserção de agulhas finas em pontos chaves no percurso das linhas sutis de energia do corpo (meridianos). As ervas chinesas agem de forma direta nos órgãos e sistemas internas (Zang Fu), equilibrando as substancias vitais e o espirito (Shen).

 

Fitoterapia ocidental profissional, como é praticada na Europa e nos Estados Unidos hoje, está firmemente enraizada na tradição da medicina ortodoxa, e nas suas disciplinas (como anatomia, fisiologia, patologia e farmacologia). Um fitoterapeuta profissional entende a 'língua' do seu médico. Contudo, além do vinculo forte com a medicina convencional, a fitoterapia também preservou alguns aspetos ‘energéticos’ e alquímicos das grandes tradições antigas do ocidente. É essencialmente uma terapia holística que junta os conhecimentos da medicina moderna com a sabedoria da medicina folclórica popular e indígena do ocidente e das Américas.

Em vez de concentrar-se exclusivamente no(s) sintoma(s) ou doença, a fitoterapia usa rémedios naturais para tratar o individo como um todo. São usados chás ou extratos de ervas inteiras, contendo todas as propriedades medicinais e alimentares da planta, evitando assim muitos riscos e problemas associados às drogas sintéticas e extratos farmacêuticos isolados.

 

Acupuntura Fitoterapia (occidental & oriental)

Please reload

Acupuntura Fitoterapia (occidental & oriental)